Amores noturnos

001

Luiz Roberto Benatti

 

o cão late

as vozes do carro

amassam a Lua contra a neblina

as nádegas esfolam-se

numa cerca imaginária

não pedem clemência

o cão só voltará a adormecer

quando o Sol imprecar

bem-aventurados os que ainda acreditam

que o Amor é como pedra de gelo

num capô amassado

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s