OS KARAMAZOV

0011

Sérgio Roxo da Fonseca

A condição ou é necessária ou suficiente. Trata-se de um conectivo lógico. Não basta conhecer a condição necessária de um fenômeno para comprovar a verdade do consequente.

Respirar é uma condição necessária para viver, mas não é suficiente. Portanto, se percebo que uma pessoa respira só por isso não posso concluir que seja verdade que esteja viva.

Se tomo conhecimento de que alguém matou um homem, sei que é verdade que ele era  um homicida. A condição suficiente, isoladamente, demonstra a verdade do consequente.

Como se percebe mesmo sendo poliédrico o conhecimento humano vive preso há apenas cinco conectivos lógicos, um deles, o mais complexo, é exatamente a “condição”. Os conectivos são: 1) o sinal de negação; 2) a letra “e”; 3) a letra “ou”; 4) a condição; 5) a expressão “se e somente se”.

É possível exemplificar. Negação: não é verdade que eu seja alemão. O conjuntivo: é verdade, eu sou professor e moro em São Paulo. O disjuntivo: é verdade que eu estou sentindo frio ou não. A condição: se houve casamento então é verdade que os esposos são plenamente capazes. A condição exclusiva: eu gosto de pitanga se e somente se madura. Dostoievsky.

Dostoievsky narra o drama dos irmãos Karamazov que planejam matar o próprio pai. Um deles destaca que se matarem o pai a polícia vai descobrir e levá-los ao cárcere. Prefiro viver com o meu pai a ir para a cadeia, acrescenta.

O outro Karamazov esclarece que tem um plano infalível que permitirá matar o pai sem que nenhuma autoridade tome conhecimento do crime.

O terceiro Karamazov argumenta que as autoridades poderão não descobrir o crime, mas Deus sim, de tal maneira que passaremos e eternidade no inferno.

O segundo Karamazov então resolve o problema, afirmando que Deus não existe, portanto, podemos matar o nosso pai.

O terceiro conclui: se Deus não existe, tudo é permitido.

Lembro-me hoje dessa antiquíssima lição. Se a fonte fundamental do direito não existe, tal como Deus para o terceiro Karamazov, tudo é permitido, o que mergulhará a convivência humana na anarquia. Cada um é senhor de seus desejos e de seus propósitos, desprezada qualquer espécie de restrição ou limitação normativa.

Na década de sessenta o Brasil passou por uma experiência semelhante à de hoje quando a estrutura jurídica foi fraturada: a nova fonte do poder, sem embasamento eleitoral, decretou que tudo passou a ser permitido para suas autoridades. Algo semelhante percebo agora, abrindo todas as portas para todas as direções, segundo a visão lógica do terceiro Karamazov, ao concluir que se deixou de existir uma norma fundamental, tudo será permitido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s