Em dia de agruras, empregue-se como guardião de galinheiro

001

Luiz Roberto Benatti

Ao ser mandado para o olho da rua (na suposição de que a rua tem olho), saque o fundo de garantia, se fundo houver, e, em vez de investir num prédio de aluguel escorchante no centro da cidade, arrume 3 palmos e meio de terreno e monte um galinheiro. Há 24 milhões de galinhas no mundo, dentre as quais incluem-se milhares de galos, frangos e pintos. Com 40 ou 50 aves, sol nascente, você acordará cedo para dar milho e quirera para as galinhas. Se estiverem famintas, costumam saltar para arrancar da mão a cumbuca do milho. Troque a água suja da véspera porque, para beber, elas metem na tina os pés ciscadores. Não se engane:a galinha parece ser burra mas não o é de fato. Bem de longe,elas reconhecerão você e ser reconhecido por alguém, mesmo que seja por aves, já é sinal distintivo de glória. Quando os pintos nascem, eles passam parte do dia aninhados sob a mãe plumosa que, logo mais, irá ensiná-los a fracionar o milho. Escola, meus queridos, é pura imitação tanto da coisa errada quanto do recomendável. Elogie Hitler e parte da classe vai alardear no pátio  que ele continua vivo e que os judeus sempre foram responsáveis pelas desgraças da humanidade.Não dê para as aves gás sarin: ele dissolve os órgãos internos em poucos minutos.  Com aquele número de galinhas, todos os dias você poderá recolher uns 10 ou 12 ovos, comer gemada bem cedo, preparar omelete com queijo e cebola no almoço. Os indianos que nos ajudaram a domesticar as galinhas só o fizeram porque adoravam briga de galo. Quem nasceu primeiro: o ovo ou a galinha? Pergunta que deixaria Aristóteles furibundo: nessa história, meu filho, falta o galo, portanto refaça a pergunta com o terceiro excluído. Nathanael West, certo de que as galinhas adoram boa literatura, escreveu The day of the locust quer dizer O dia do gafanhoto, em que um casal, como costuma acontecer, Homer e Faye, vão à completa deterioração à beira da tragédia doméstica. As galinhas adoram a história e você poderá ler para elas capítulos do romance. Faye é uma rara prostituta que não se vende por grana, mas entrega-se incondicionalmente por amor ao macho gigolô. Para as minhas galinhas, tenho lido boa poesia contemporânea.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s