Wladímir Lênine deveria ter assistido, em 1902, à estréia de A profissão da sra. Warren

Luiz Roberto Benatti

 Em 1902, em Paris, Lênine contraiu sífilis duma prostituta e a doença o devastou. Vinte e dois anos mais tarde, em janeiro de 1924, preso a uma cadeira de rodas e apoplético, ele estava morto. No dia 5 de janeiro de 1902, George Bernard Shaw assistiu à estréia de sua peça – A profissão de Mrs. Warren. Mrs. Warren era prostituta e a irmã, Vivien, dedicada universitária.Nos tempos de Stálin, Shaw e Lady Astor visitaram a União soviética.  Lênine não resistiu aos apelos da carne na capital do mundo nem prestou atenção nas criaturas esquálidas de Pablo Picasso pintadas em azul. Shaw era bem humorado e talvez sarcástico. Sobre os desentendimentos entre marido e mulher, afirmou que tudo resultava duma briga para saber se a janela do quarto  deveria permanecer aberta ou fechada. Jamais saberemos em  quais quartos Lênine passou a noite. A profa. Rapapport atestou sobre a sífilis e o cientista Pavlov, cão envenenado, gritou que a Revolução de outubro tinha sido levada a cabo por um louco atacado de sífilis cerebral. Para Sontag, a doença é sempre uma metáfora: a sífilis de Lênine rascunhou a Revolução russa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s