Ao perder a noção de perigo, o homem público revela ter dentro de si, camuflado,  um camicase

001

Luiz Roberto Benatti

 

O bombeiro que entra na casa em chamas, no momento em que parte do telhado já veio abaixo e o restante cairá a qualquer momento, é exemplo de perda por um tempo da noção de perigo. Ele o faz para salvar idoso ou animal preso a um cômodo. razão por que seu gesto suicida revela-se contraditoriamente como puro altruísmo.O homem bomba que prende ao peito por debaixo da roupa dinamite com o propósito de infligir ao inimigo morte dolorosa é movido por missão suicida cujo entendimento vai além dos ensinamentos cristãos do Ocidente. A patologia do gesto não será impedida por nossos valores. De uns tempos para cá (e isso é cada vez mais frequente) o homem público brasileiro, ao tornar-se impublicável, perdeu por completo a noção de perigo. A doença o contaminou de tal modo, que ele sacrifica mulher e filhos, mãe, irmãos, amigos e o patrimônio pessoal. Nada o contém, a não ser o poder de observação do MP seguido de punição da ação predatória. Na cadeia, é bem possível que ele prossiga no processo de mentação das idéias perversas que o levaram à beira do abismo. Nesse momento, ele será incapaz de pensar noutro propósito que não o do assalto sistemático ao erário público. Ele se autodestruiu, mas não se dá conta disso.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s