Oblomofobia & outras configurações para medos múltiplos

001

Luiz Roberto Benatti

 Já lhe disse mil e seiscentas vezes para não cutucar com o canivete a ponta da língua e o intervalo entre os dentes. Você arranca pelos da perna com alicate, agulha e tesoura. Na visita ao Etna você ficou bem à beira do vulcão e aspirou enxofre por 25 minutos e meio. Lembra-se de como você se equilibrava no trilho do trem até à undécima hora antes de pular para o barranco e dali morrete abaixo? Sou eu quem tenho a porcaria da doença ou você é maluca de pedra? Não sei o que fazer com essa coleção de facas afiadas, duas das quais localizei no box do banheiro. Um dia eu a surpreendi com um olho no cutelo e outro no galo. Vou abandoná-la, mas confesso que não sei para onde ir. Cama de pensão barata vive cheia de pregos e arame enferrujado. Não tolero as multidões ensandecidas, a praça do mercado, a sorveteria no Verão, campo de futebol. Vou dormir com a cabeça enfiada na fronha que minha mãe costurou para mim quando eu tinha 3 anos, 4 meses e 17 dias, 3 anos, 4 meses e 17 dias.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s