LANÇAMENTO DE LIVROS E EXPOSIÇÃO

 

No dia 27 de maio, sábado, a partir das 16h, na Oficina Cultural Oswald de Andrade, em São Paulo, um evento concentrará três atrações: o lançamento do livro Refusões (Editora Perspectiva), do poeta Marcelo Tápia, que reúne sua produção poética realizada ao longo de 35 anos (1982-2017), com uma parte inédita; o lançamento do livro Divino Gibi – Crítica da Razão Sapiencial (Editora Annablume), do poeta Jaa Torrano; e uma exposição de trabalhos especialmente criados para a ocasião pelo artista plástico suíço (radicado no Brasil) Pascal Ruesch, que dialogam com a poesia de Marcelo Tápia.

Sobre Refusões, dizem os editores, na quarta capa do livro:

 

Refusões reúne em um só volume a obra de Marcelo Tápia, um dos nomes marcantes da poesia brasileira atual. Perambulando com elegância e dionisíaca eloquência pelas trivialidades e perplexidades da vida, suas sensações e consequências, e assumindo formas as mais várias, do coloquialismo cotidiano às experimentações visuais e tipográficas, tem-se aqui um corpus lírico que descreve um completo trânsito pela senda poética da modernidade.

Não se trata apenas de emendar e concentrar, alguns dos significados do vocábulo-título, mas de verter de novo, neste volume, de sonetos a poemas gráfico-visuais, acrescidos de textos inéditos, o verbo e o verso, sendo sempre fiel à inelutável volatilidade e ao permanente valor de uso da palavra e do objeto livro, tanto efêmeros como atemporais, tópos que, aliás, perpassa a obra do autor.”

(J. Guinsburg e Luiz Henrique Soares)

Sobre Divino Gibi – Crítica da Razão Sapiencial, pode-se ler, na orelha do volume:

“Será possível, no atual contexto da produção poética, fazer-se algo que se mostre, desde o primeiro contato, “original”? Curiosamente, a resposta positiva se dá por meio de uma poesia que não nos causa estranhamento em seu modo de realização, mas nos impressiona por sua capacidade de surpreender.

O poeta, feito Hermes, anuncia-nos, com agudeza, brevidade e parcimônia de recursos, a via de convivência do mundo e do pensamento míticos com a realidade vivida em nosso tempo, alçando-nos a uma dimensão intemporal de compreensão da amplitude do mínimo. Para chegar a tanto, o também professor Jaa Torrano – que tem dedicado sua vida ao ensino de língua e literatura gregas, bem como à tradução dos antigos “clássicos” –, profundamente familiarizado com a visão mítica do mundo e, ao mesmo tempo, incansável fazedor na trivialidade dos dias, reuniu-se todo num labor diário de anotação de seus vislumbres poético-sapienciais.”

(Marcelo Tápia)

Sobre a obra do artista plástico Pascal Ruesch:

A conceituação orientadora da arte de Pascal reporta-se à contemporaneidade em diversos aspectos, sem restringir-se ao emprego do conceito e da abstração de relações: a fisicalidade de sua realização presentifica ligações concretas, no plano primeiro da percepção, a partir da qual a leitura múltipla, associada ao ato reflexivo, decola no livre pensamento, para uma viagem relativa ao mundo de quem a conduz.

O raciocínio que fundamenta o conjunto exposto por Pascal Ruesch é eminentemente poético, na conotação semiótica do termo: as relações se armam com base na associação analógica, que se serve dos princípios de similaridade e dessemelhança de formas a fim de arquitetar sintagmas abertos para visões de mundo.  Um mundo construtivista feito de reaproveitamentos, reciclagens, recriações, trazidas a um meio marcado pela síntese, do qual fazem parte a clareza e a limpidez formal.

Formado com base em citações e referências, o trabalho exposto insere-se no contexto da produção poética vista como eterna reescritura.

(Excertos de texto de Marcelo Tápia, revista Re-produção, Casa Guilherme de Almeida: http://www.casaguilhermedealmeida.org.br/revista-reproducao)

SERVIÇO:

 

Lançamento de Refusões, de Marcelo Tápia, e Divino Gibi – Crítica da razão sapiencial, de Jaa Torrano / Exposição de obras do artista plástico Pascal Ruesch.

Data:     27 de maio de 2017, das 16h às 19h.

Local:    Oficina Cultural Oswald de Andrade

                Rua Três Rios, 363 – Bom Retiro, São Paulo – SP.

Telefone: (11) 3222-2662.

http://www.oficinasculturais.org.br

Entrada franca.

Sobre os autores:

 

Jaa Torrano possui graduação em Letras Clássicas (Português Latim e Grego) pela Universidade de São Paulo (1974), mestrado em Letras (Letras Clássicas) pela Universidade de São Paulo (1980), doutorado em Letras (Letras Clássicas) pela Universidade de São Paulo (1987), e livre docência em Literatura Grega pela Universidade de São Paulo (2001). Atualmente é Professor Titular de Língua e Literatura Grega na Universidade de São Paulo. Autor de “O Sentido de Zeus. O Mito do Mundo e o Modo Mítico de Ser no Mundo” (São Paulo, Roswitha Kempf, 1988 / Iluminuras, 1996) e “A esfera e os dias. Poemas” (São Paulo, Annablume, 2009), publicou ainda os estudos e traduções: EURÍPIDES – Teatro Completo (e-book, São Paulo, Iluminuras, 2016, 2 vols., previsto 3 vols.), ÉSQUILO – Tragédias (São Paulo, Iluminuras, 2009), ÉSQUILO  – Oresteia (São Paulo, Iluminuras, 2004, 3 vols.), EURÍPIDES – Bacas (São Paulo, Hucitec, 1995), EURÍPIDES – Medeia (São Paulo, Hucitec, 1991),  ÉSQUILO – Prometeu Prisioneiro (São Paulo, Roswitha Kempf, 1985), HESÍODO – Teogonia (São Paulo, Roswitha Kempf, 1981 / Iluminuras, 2006, 6a. ed.), além de artigos e estudos sobre literatura grega clássica em  livros, revistas e periódicos especializados. Trabalha com os seguintes temas: tragédia grega, pensamento mítico e filosofia grega, estudando e traduzindo dos seguintes autores: Homero, Hesíodo, Ésquilo, Sófocles, Eurípides e Platão.

Marcelo Tápia, poeta, ensaísta e tradutor, é graduado em Letras (Português e Grego) e doutor em Teoria Literária e Literatura Comparada pela USP. Autor de cinco livros de poemas (agora reunidos no volume Refusões, ed. Perspectiva, 2017), traduziu, entre outras obras, os romances Os passos perdidos (ed. Martins / Martins Fontes, 2008) e O reino deste mundo (idem, 2010), de Alejo Carpentier. Tem ministrado cursos nas áreas de literatura e teoria da tradução em diversas instituições; atualmente, é Professor Pleno do Tradusp – Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução da FFLCH-USP. Dirige os museus Casa Guilherme de Almeida – Centro de Estudos de Tradução Literária e Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura, além de orientar a Oficina Cultural Casa Mário de Andrade, entidades da Secretaria de Estado da Cultura, em São Paulo.

Pascal Ruesch, artista plástico e paisagista, nascido em Genebra em 1954, já expôs na Suíça, na França, em Portugal e no Brasil, onde vive atualmente.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s