AS AVENTURAS DE ANDREI TARKOVSKY PELO ENIGMÁTICO, BELO E SINGULAR PAÍS DO ESPELHO

001

José Eugênio Guimarães

Alguns filmes são pródigos em conduzir as plateias por indescritíveis jornadas sensoriais. Vê-los somente uma vez jamais será o bastante. É o caso, segundo meus critérios, de “Lawrence da Arábia” (“Lawrence of Arabia”, 1962), de David Lean; “2001: uma odisseia no espaço” (“2001: a space odyssey”, 1968), de Stanley Kubrick; “Um rosto na noite” (“Le notti biachi”, 1957), de Luchino Visconti; “Limite” (1931), de Mário Peixoto; “Terra em transe” (1967), de Glauber Rocha; “As 4 faces do medo” (“Kaidan”, 1964), de Masaki Kobayashi; “Rastros de ódio” (“The searchers”, 1956), de John Ford; “Solaris” (“Solyaris”, 1972), de Andrei Tarkovsky; e, desse mesmo diretor, “O espelho” (“Zerkalo”, 1974). São realizações que elevam. Deixam o espectador humanamente engrandecido e, paradoxalmente, nunca completamente saciado. Sentirá a compreensível compulsão de revisitá-las periodicamente, indefinidamente, sempre como se fosse a primeira vez. Algo de novo permanentemente se revelará, transformando-as em experiências intermináveis. Já perdi a conta de quantos turnos reservei à redescoberta de “O espelho”, desde 1992, quando do primeiro encontro com este radical mergulho do cinema na subjetividade. Absorvê-lo no sentido meramente racional é impossível. Diante das imagens oníricas obtidas pela direção de fotografia de Georgii Rerberg o melhor, mesmo, é se deixar levar, e guardar a certeza de voltar a elas em atendimento aos inexplicáveis anseios disto que chamamos de alma. É um dos filmes mais carregados de afetos e referência pessoais. Tais características, felizmente, não valem somente para o cineasta. Atingem profundamente o âmago dos espectadores dispostos a acompanhar uma urgente e irrecusável prestação de contas pelas vias da rememoração. Se há muita religiosidade no cinema, “O espelho” é uma das melhores oportunidades a um “religare”..

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s