Retratos em P&B  da ditadura Vargas

001

Luiz  Roberto Benatti

 O chapéu do esbirro inclina-se para a direita, intimação à mão, lenço na lapela de dândi da delegacia política, O corpo miúdo da mulher transporta-se por rara dignidade.As ditaduras apagam as luzes da inteligência e acendem o farolete da ignomínia.Prestes escondeu-se embaixo da cama porque a ponte do Rio da Guarda estava infestada de pernilongos. Seu lenço está empapado de suor e desconforto. A mulher caminha para a morte do outro lado do Atlântico.A revolução no Brasil é uma colcha de retalhos feita de papel crepom. Antes que eu me esqueça de ser ácido, aí vai: o nome da mulher é Olga Benário e o do esbirro é Anônimo da Silva, reeducado por Filinto Müller.Do charuto de Getúlio Vargas desprende-se o  gás Sarin.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s