Onde está o meu nada?

 01

Luiz Roberto Benatti

 

os cadáveres perderam a fome

e a sede que tinham

na travessia do Mediterrâneo

em Xangai o operário dilacera os pulmões

contaminados pelo progresso

nas ruas de meu país

B.F. Skinner leva por uma cordinha

um rato branco

que entre grão  gota d’água

& eletrochoque

aprende que o futuro é um outdoor

ensopado pela chuva

e esfarelado pelo calor excessivo

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s