Ensaio ao esquecimento

ensaio

Alberto Cuddel

 

Garganta a baixo goles de esquecimento

Perdão se matar-te na mente é crime

Mas quero apagar de mim o momento

De me saber ser quem te oprime…

 

Dos medos onde me calo, solidão

Oculto em gaiolas de vime, podridão

Seja eu silêncio tremulo, compaixão

Homem sem h, rato sem decisão…

 

Engasgo-me nas palavras esquecidas

Na verdade em que a boca me trai

Nunca de mim sai, nunca em mim vivi…

Os poemas são meros ensaios da mentira…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s