O sofrimento é doce como laranja amarga

gulag

Luiz Roberto Benatti

quando visitei o Museu Gulag

vi que a neve tinha a cor do carvão

Страдание сладкое, как горькийапельсин

não me perguntaram de onde viera

porque eu levava numa bolsa vermelha

a faca enferrujada dos que não tinham dentes

duas coisas me encantaram

os cômodos estreitos onde os culpados dormiam

sem conhecer a arquitetura dos caminhos livres

e o bigode de Stálin  de cujos fios

derretidos fez-se a cola das pedras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s