Pensar demais  ou pensar de menos?

001 

Alexandra Martins Godoy

 

Talvez tudo o que leio seja formado por poesia. Por pura e boba poesia. Ninguém percebe, mas quando falamos sobre amores, temores, alegrias e devaneios, a poesia é automática.
O ser que apenas pensa é antiquado para o mundo. Os que pensam demais vivem em uma caixa, com suas próprias ideologias e  que, com o passar do tempo, passam a defendê-las com garras e dentes. Nessa briga, acabam não ligando para o coração.
O que pensa de menos, ou seja, o burro, é o que sente demais; O que constrói uma armadura por meses e faz com que a mesma seja destruída em sua primeira batalha.
E o que sente de menos  assemelha-se com o que pensa demais. Seu coração é frio e calculista, não sabendo quem pode ferir nesta jornada.
O que pensa demais e o que sente demais são como a  paz entre o corpo e a alma. O intelecto é importante para evolução do corpo (cérebro) e da alma e o sentimento trabalha mais na região da alma, onde sua habitação principal está. Os dois ajudam na evolução do próprio homem que os têm.
Escolha quem você quer ser:
Um gênio antipático e anti- sentimentos
Um burro feliz e sentimental
Ou seja a paz entre o corpo e a alma. O que todos procuram por anos em outros, mas apenas podem achar em si mesmos.

Alexandra Martins Godoy, 12 anos.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s