Veredas, ruas sem saída talvez

001

Luiz Roberto Benatti

 

saiba que não se trata de urgente decisão

calar-se de vez ou alinhavar o que no peito

mais se arrolha sempre que o tira linha perde

jeito e ponta esquecido de que o círculo seja

outra coisa que não a coisa mesma, enovelada

convulsionada deslembrada de que o Sol

nem é mais  um quadrado que poderia quem sabe

mergulhar-se num vulcão e ali permanecer

por muitos anos, atento porém ao fabrico da lava,

ou de que o amigo a amiga tomaram um bote

sem nome rumo a uma charneca rio-mar ou a Lua

cuja poeira é como talco em que os cães anônimos

jamais puderam  localizar teiú ou inseto inodoro

em noite sem Lua ou dia sem Sol, sem nem ou  porém

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s