I am Fujimoto, but who else could it be?

001 

Luiz Roberto Benatti

The exhibit Sou Fujimoto of Japan house does not fill the eyes but invites the soul to reflect on itself whenever it extends over the extracorporal microuniverse. Among the Japanese noun I am, the verb to be of our language and the word soul of English nearby which the visitor could explore, and then surrender to the silent gathering in a planet of noise and unrest. You will only be able to see the minimalist piece if you agree to bend the trunk in front of the pedestal surmounted by the sculpture. Bend to realize the contours of your soul.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s