Lisboa Kuya

001

Kalaf Ângelo

 

ensina-me a ser assim
capaz de fazer do ya
algo mais do que um sim
ninar tudo o que pede para ser pra já
e deixar aconchegar-se a mim
a certeza de que nada mais
terá o mesmo sabor
nem cerejas
nem Lisboa

[Em Angolano, kuya, que aqui aplica-se a Lisboa, é como a mulher por quem estamos apaixonados]

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s