A República soube sempre como varrer a sujeita pela porta afora

Sem título.png

Luiz Roberto Benatti

Em 5 de novembro de 1897, Prudente de Morais, piracicabano representante das oligarquia cafeeira, numa cerimônia de recepção de batalhão do Exército retornado de Canudos, sofreu atentado. Ele se salvou para morrer de tuberculose mais tarde, mas não o ministro da guerra, morto em sua defesa. Canudos é a maior nódoa da desfaçatez das elites homicidas do País e Euclydes da Cunha sempre soube disso. Dado curioso é que o anarquista que se encarregou de investir contra Prudente chamava-se Marcelino BISPO de Mello.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s