Se não é do mar que lhe vem o  medo, por que você se aflige?

001.png

Luiz Roberto Benatti

 

ela: você  disse que minhas mãos são

como pequenas fornalhas

sinto porém que estão enregeladas

pelo vento marinho

que arremete contra as escarpas

há séculos e, dia após dia,

abrem um nicho

onde se aninha a gaivota

 

ele:você se calou no dia em que meu

corpo debateu-se contra as escarpas

e eu imaginei que a luz intensa do farol

tivesse momentaneamente cegado  seus olhos

há tanto tempo lutamos

contra as nossas naturezas,

que eu já me esqueci de que

essa cama baixa não é um salva vida

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.