Pequeno dicionário de Gastronomia

Luiz Roberto Benatti

Abobrinha: deguste-a de modo lento e continuado,  molhe o pão no azeite que a cobre mas não abra muito a boca. Recomenda-se não falar bobagem entre uma garfada e outra.

Chuchu:se você o pedir num restaurante muito chique, consulte antes o Google para ver se a palavra se escreve com x ou ch. Se você for a Roma, poderá exercitar o Latim pedindo com elegância que sirvam a você e à amante Sechium edule.Se você for a NY, não se esquece de pedir Mirliton.

Farinha:não faça rasgados elogios à farinha do pão porque você poderá botar o padeiro numa fria.

Pimenta:você poderá chamá-la de piripiri, mas se o cozinheiro não conhecer o termo ficará nervoso. Sempre que o cliente reclamar que a pimenta não estava a gosto, o recomendável será pedir pimenta-de-são-tomé, cuja ardência poderá ser constatada pela língua em chamas.

Tomate:o preço do tomate sobe mas quase nunca desce e, se você reclamar com a autoridade monetária, poderá pisar no tomate. No futebol, o termo correspondente é pisar na bola, mas não diga isso ao Neymar. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.