O Carnaval de 1965 e os mortos da Escola de Samba Cruzeiro do Sul

.

Luiz Roberto Benatti.

A COFESCAR/Comissão dos festejos carnavalescos da cidade foi criada em 1965, às vésperas do Carnaval. A entidade deveria ter organizado a festa, além de repartir com os participantes verbas, fantasias e nomeado os jurados. No dia 27 de fevereiro, os céus se abriram e por 24 horas despejaram a água acumulada. Clécio Ronchi dirigia um caminhão Fargo com integrantes da Escola de Samba Cruzeiro do Sul, o veículo entalou as rodas numa valeta aberta pelas águas, o caminhão  tombou e os corpos de 6 sambistas foram localizados horas depois pelo Corpo de bombeiros de Rio Preto. Os familiares dos mortos cobriram-se de cinzas antes da Quaresma e seus mortos foram esquecidos pela cidade. Na imagem, peças do Museu do Carnaval de Uchoa dirigido por Carolino Camillo Neto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.