Pedro II, João Cabral de Melo Neto, o Líbano e dois rios do Cão

Luiz Roberto Benatti  

Em duas ocasiões, o Imperador Pedro II esteve no Oriente médio: foi homem cultíssimo,  com olhar apurado para os fatos de seu tempo. Ele acertou com o Líbano a questão da migração para o Brasil. Em novembro de 1876, ele escreveu a um amigo que tentava escalar as pedras do Naja al-Kalb, o Rio do Cão, que vai de Jeila Grotto ao Mediterrâneo. Os libaneses migraram para o Brasil e, de certo modo, desviaram para o Recife o rio que, no poema de João Cabral, metamorfoseou-se no Cão sem plumas, a nadar nas águas do Capibaribe: A cidade é passada pelo rio/como uma rua/é passada por um cachorro/uma fruta/por uma espada. Ao fluir, as águas dos dois rios ligam o Imperador ao Líbano e ao Recife pernambucano.O fogo e a metralha de 2006 deixaram o Líbano em frangalhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.