Gavrilo Princip, saltou de uma página de Dostoiévski para Saravejo

Luiz Roberto Benatti.

Em 28 de junho de 1914, um mês antes da eclosão da Grande guerra, o arquiduque Francisco Ferdinando da Áustria, sucessor do trono austro-húngaro, e a mulher Sofia foram alvejados à queima roupa em Saravejo por Gavrilo Princip, na verdade um dentre 6 implicados na conspiração (5 sérvios e 1 muçulmano bósnio), numa operação arriscada e cuidadosamente coordenada  pelo coronel  Danilo Ilic. O propósito era instalar a Grande Sérvia ou Iugoslávia. Outro coronel, Tankosic, armou os assassinos com bombas e pistolas e os treinou. Os 6 participantes foram presos, julgados e punidos, 3 dos quais executados. Intérpretes e historiadores entenderam que o episódio deu à guerra o disparo inicial. A acareação dos assassinos e seus instrutores infiltrados no exército sérvio resultou num dossiê cujos detalhes, rigorosamente anotados, deixarão boquiabertos os interessados no episódio: local de saída de tal localidade, transporte e abrigo de armas, casas em que  pernoitaram, retorno, cujas preliminares para o atentado  deram-se do seguinte modo: o arquiduque e a comitiva transportaram-se de trem de Ilidza Spa a Saravejo, para visitar feridos em hospital -,  onde se distribuíram por 6 automóveis, exatamente o número de assassinos. Por engano, previamente urdido ou não, 3 oficiais de polícia viajaram no primeiro dos 3 carros da polícia,  com o chefe de segurança, enquanto que os oficiais que supostamente deveriam ter acompanhado o chefe de segurança seguiram atrás, no terceiro carro. O arquiduque viajou num Gräf & Stift ou Phaeton duplo, carro esporte, com o capô abaixado. No trajeto, antes do atentado, o Gräf parou para ser inspecionado numa barraca de polícia.Mais à frente, Nedeljko Cabrinovic, um dos assassinos, lançou bomba contra o automóvel do arquiduque, mas o artefato atingiu o segundo carro. Cabrinovic engoliu pílula de cianureto, atirou-se no Rio Miljacka, vomitou e não morreu. Foi dragado e espancado por multidão de revoltados sérvios. A comitiva rumou para a prefeitura onde  discutiu a situação, mas o arquiduque manteve o programa, refez o percurso até que Gavrilo atingiu-lhe a veia jugular,   distante apenas metro e meio do regente.Sofia foi atingida no abdome.  Iniciado em 12 de outubro, o julgamento terminou no dia 23, cuja sentença foi lida em 28. Gavrilo, com 19 anos, foi condenado a 20 anos de prisão, onde morreu de tuberculose. Trama de novela policial de superior qualidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.