Ode ao ócio

Luiz Roberto Benatti

visto o paletó

do equinócio

e o chapéu do solstício

nas sobras fermenta  meu negócio

as belas  garotas

de meu palácio

logo se afastam

na  ponte vitalícia

sou sócio de nenhum negócio

& o dia escoa sem armistício

conhecem alguém letrado

que domine o posfácio

do comício

contra o desperdício

ou a trilha para um hospício

fictício?

não me roubem o cajado

com ele fui barrado

no baile das celebridades:

minha antena para o  anonimato

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.