Muralha

Luiz Roberto Benatti

o vento não cabe na muralha

 desenha-se  como navalha

sua voz assusta a  gralha

durma numa pedra

sinta cheiro de  palha

o amor é uma fornalha

estúpido & noutras vezes 

parecido com uma guerrilha

boiando numa vasilha

o que temos nós para compartir

se não alguns grãos de ervilha?

eis o tempo dos canalhas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.