Variações alucinógenas em torno da mandrágora

Luiz Roberto Benatti

Nas listas de indicações bibliográficas para os dias de confinamento, não leio o nome de Nicolau Maquiavel, lapso que atesta que não estamos interessados na permanência dum Estado racional ou na certeza de que a sátira é a bebida recomendada para a mesa dos perdidos  na noite de Van Gogh ou nos dias sem cós nem braguilha que atravessamos. Vamos que vamos, dizemos agora no novo dialeto estropiado da urbe de poucos transeuntes. NA mandrágora, o florentino inspirou-se na passagem do Gênesis 30:14-22, em que Raquel, Lia, Rúben e Jacó lembram-se de que os atos de amor tem mil variantes nas quais   dois mil anos mais tarde vão-se avivar as chamas do eros camoniano. É claro que Nicolau falava também do gengibre, do conteúdo alucinógeno da planta e das raízes semelhantes a figuras humanas, bem como dos rituais pagãos ligados à planta. Todavia, como Maquiavel pensava com a própria cabeça de olho no mundo vindouro, ele satirizou a corrupção da sociedade italiana. Eis um brevíssimo resumo da trama: Calímaco apaixona-se por Lucrécia, mulher casada sem filhos. Vai daqui que com a ajuda de frei Timóteo consuma-se o adultério em cujos preparativos o marido singelo deixa-se enrolar com a história da beberagem do gengibre que ajudaria o amante a engravidar a mulher. A peça está mais viva do que nunca. Em Língua inglesa, mandrake é a mandrágora e Mandrake é a criatura de HQ que a moçada de minha geração conheceu na criação de Lee Falk, de 1934 : um ilusionista que, através da hipnose, transformava a arma do vilão em buquê de flores ou pomba. O personagem foi inspirado em Leon Mandrake que usava cartola, capa de seda escarlate e fino bigodinho. Como vêem, precisamos de Maquiavel e Lee Falk.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.