A máquina de costura como objeto de Arte

LRB

Ao conceituar a Beleza, o poeta Lautréamont, nos Cantos de Maldoror, escreveu: “Beleza é a oportunidade de encontrar-se uma máquina de costura ao lado dum guarda-chuva numa mesa de cirurgia”. Pela estética do Surrealismo, o poeta deveria dar plena vazão  às palavras procedentes do insconsciente, de acordo com o processo freudiano da livre associação. Os surrealistas nos mostraram que a Arte é a ocasião do inusitado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.