O último trem para Lisboa

Luiz Roberto Benatti

até hoje não sei bem

se perdi o último trem para Lisboa

ou se Lisboa distanciou-se tanto de mim

que não sinto mais como eram suas cores

havia tantas ladeiras

tudo era feito de lembranças

a dor de outros dias

continuava intacta

sem se esfarelar no fundo da canastra

se não estive lá

uma parte de mim perdeu o sentido

a memória não prescinde de bengalas

e o cheiro daquelas ruas

por onde  Ulisses,envelhecido,

pensou ter navegado

imagine só

ao cair e erguer-se

em pedras secas

entregarei a quem

este casaco vermelho?  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.