OS CÃES DE ATENAS

Maarja Kangro/Benatti

Em Pláka, ao redor da Acrópole,

para não mencionar  outro lugar,

multidões passeiam  e dormem.

Cães enormes. Mansos, educados.

Com a excitação  dos filhotes

 traduzimos a linguagem profunda,

Eu tiro fotos dos cães:

amarelos, brancos, cinzas, pretos.

“Não há um único cão  pequeno.”

Você fala com o brilho dum cientista:

“Todos os pequenos morreram!”

Seus olhos azuis brilham  de emoção.

A amêndoa já foi venenosa,

todas as ervilhas minúsculas eram como  grãos de sal

e o  homem um anão sanguinário!

Ou o quê?

Somos maiores que nossos ancestrais,

 gostamos de ser corteses.

„Existe algum sinal  de melancolia

nesses cães sobreviventes. “

“Os bons comeram os outros?”

Sentamo-nos  e jantamos

em memória dos cínicos – os certos –

e à saúde de cães educados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.