Três poemas

Luiz Roberto Benatti

Persistência da memória

no interior noturno do fordinho

os sacolejos garantem a emoção

as unhas do fotógrafo são marrons

cheiro de couro do banco e óleo do motor

goiabada pulôver jaqueta cáqui

as fotos não sacadas

cobriram de prata o retorno

ele quer chegar rápido

porque o sonho dorme em travesseiro de palha

______________________________________

Os últimos dias no deserto

essa extensão só termina

onde o cacto não me liberta

recolho as pedras dum horto

pura miragem de conforto

o espaço entre quarto e sala

é atravessado pelo  sol dum lagarto impertinente

______________________________________

Notas para um estudo sobre o imaginário

se eu pensar

que você pensa

o que eu penso

darei ao galho seco

folhas verdes

e frutos maduros

se eu pensar

que você não pensa

o que eu penso

continuarei na linha

sempre à espera

dum trem  futuro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.