A História De Lilly Braun

Maria Gadú

Como num romance 
o homem dos meus sonhos me 
apareceu no dancing, 
e era mais um 
só que num relance os seus 
olhos me chuparam feito um zoom 

Ele me comia 
com aquele olhos de 
comer fotografia 
e eu disse cheese 
e de close em close 
fui perdendo a pose 
até sorrir feliz 

E voltou 
me ofeceu um drinque 
e me chamou de anjo azul 
minha visão 
foi desde então ficando flu 

Como no cinema 
me mandava às vezes 
uma rosa e um 
poema, 
foco de luz 
e eu feito uma gema 
me desmilinguindo toda ao som do blues 

Abusou do scotch 
disse que o meu corpo era só 
dele aquela noite 
e eu disse please 
Xale no decote 
disparei com as faces 
rubras e febris 

e voltou no derradeiro show 
com dez poemas e um buquê 
eu disse adeus 
ja vou com meus 
numa turnê 

Como amar esposa 
disse que agora 
Só me amava como esposa 
Não como esta 
me amassou as rosas 
me queimou as fotos 
me beijou no altar 

Nunca mais romance 
Nunca mais cinema 
Nunca mais drinque no dancing 
Nunca mais cheese 
nunca uma espelunca 
Uma rosa nunca 
Nunca mais feliz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.