Do Hotel dos viajantes/Accorsi-Di Cunto não sobrou nem uma colher

Luiz Roberto Benatti

Onde foram parar os talheres, as toalhas de mesa, colchas, camas e cobertores do velho hotel, o livro de registro de hóspedes, bilhetes amorosos deixados na mesinha do quarto? O hotel inaugurou-se em 1916, dois anos antes da emancipação política da cidade e no ano seguinte abrigou um magote de emigrantes italianos que nele se reuniram para fundar a Sociedade italiana Dante Alighieri que os adoradores de Mussolini denominaram mais tarde Gabrielle d’Annunzio. Em 22, pouco antes de morrer, o escritor carioca Lima Barreto pernoitou no hotel a caminho de Rio Preto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.