O cão de Goddard

Luiz Roberto Benatti

ele fala com o rabo, as orelhas, as unhas   e as narinas

na planície ou à beira dum vulcão

ele cavouca o solo duro

à procura do osso da partilha

lê com os olhos o entorno destroçado

Sebastião Salgado fotografa-lhe o uivo lancinante

ao cruzar o Rubicão outro cão sussurrou a Júlio César

você poderia ser um falcão

no olho do furacão?

não tema molhar os pés

sou também  um cão de Verdade

disposto a reconstruir  a ponte da  Amizade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.