À procura do amor, aos 70

Luiz Roberto Benatti

Como achar graça

no modo ridículo como ela masca a cereja

cigarro à mão

& novas rugas a cada manhã?

Não sei mais quanto paguei pelo colar de pérolas

nem os anos que ela fazia

Estamos irremediavelmente velhos

a ponto de eu chamá-la pelo nome

de minha primeira namorada

Foi a guerra do Vietnã que me presenteou

 com esta perna mecânica

primor de engenharia ortopédica

e que nenhuma coceira vai incomodar

Campeão de tiro na mocidade

agora brinco de Star wars com os netos

em animadas  batalhas estroboscópicas

Envelhecer é acreditar em novas possibilidades

alimentadas pelo esterco do improvável amanhã

Pelos 25 ou 30

ousávamos praticar todos os mergulhos do Kama-Sutra

depois íamos tomar sorvete na tarde quente

ela adorava arrancar minha camiseta pela cabeça

agora nem sei mais onde esqueci minha cabeça

Revólver celular urso revólver dólares bebê

nem Mao Tse-tung pensou na grande revolução cultural do crack

aos 10 anos,  esse moleque dominará a química

da pasta de cocaína com bicarbonato de sódio

encantado com o ruído das pedras a crepitar na lata de Coca

merla oxi  nada de Cracolândia

o destino do garotão é  a Colômbia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.