Rimbaud, no Harar

Luiz Roberto Benatti

onde foi Rimbaud parar?

no Harar

seu joelho levitava

no inferno da Etiópia

um espetrocópio para a dor

outro cinescópio para Verlaine

cópias falsas  das armas

& do fim da cornucópia

no local da ferida

a perna ausente, vermelha

roída por um escaravelho

quem me encontrar no retrato

avise a Izambard

que a Charleville não vou  mais chegar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.