Aranha paciente e silenciosa

Walt Whitman/Benatti notei uma aranha paciente e  silenciosa   num discreto    promontório isolado  achava-se ali para observar  as imensas vagas  circundantes ela  cuspia  filamento após  filamento e mais  filamento para  fora de si desenrolando-os,   incansavelmente ágil e  você, ó minha alma, onde  está você, sitiada  encolhida  nos mares  incomensuráveis   do espaço numa meditação sem fim, …